Sermig

Nesta Semana Santa, no Arsenal da Esperança procuramos “mergulhar” neste tempo rico de oração, de silêncio e de esperança para depois continuar a liturgia na vida da casa, acolhendo, calando, escutando...

A boa notícia de um Deus que em toda a sua humanidade vence a morte, mesmo depois do sofrimento, das traições e do abandono, nos anima e nos ajuda a “ressuscitar”, a nos levantar, a ficar de pé!
Feliz Páscoa!

Foto: Fábio José Pereira Lima


Agradecemos aos amigos, acolhidos, voluntários, funcionários e benfeitores que ontem à noite, 1º de março, participaram da estreia do documentário “Arsenal da Esperança”! Agradecemos ao Museu da Imigração que nos concedeu o uso do auditório e a todos aqueles que, “restituindo” tempo e competências, nos permitiram produzir esse vídeo que mostra um pouco do percurso histórico que deu vida ao Arsenal, com o depoimento de algumas das muitas pessoas que tornaram essa aventura possível.

“Vinte e dois anos se passaram desde que entrei pela primeira vez no espaço da antiga Hospedaria...” – disse Ernesto Olivero, fundador do Arsenal, em uma mensagem gravada para estar junto com todos os participantes: “A comunhão me permite dar um pulo de 10 mil quilômetros para dizer a vocês que os quero bem e que precisamos continuar a ‘investir’ o nosso bem para Deus, para os outros e para todos que batem em nossa porta”. Nesse espírito, o evento não foi simplesmente assistir a um documentário... mas também uma oportunidade de agradecer e refletir sobre o que une e inspira tantas pessoas diferentes a se colocar à disposição, de várias formas diferentes, para um único objetivo.

O bairro do Bresser ficou mais alegre e colorido na tarde do sábado, 3/02. Uma verdadeira comitiva da alegria passou pelas ruas no entorno da sede do Arsenal da Esperança, com o bloco: “Batuca Bresser – o meu bloco de rua – Maria Esperança, a locomotiva do carnaval – movida a bondade, mais rápida que a maldade”.

A ideia foi usar a imagem da locomotiva, conhecida como Maria Fumaça, para resignificar o momento que o bairro vive, com muitos desafios, mas também com a esperança de melhora. “A Maria Fumaça trazia os imigrantes para a antiga hospedaria [complexo que abriga o Museu da Imigração do Estado de São Paulo e o Arsenal da Esperança] e nós a transformamos em Maria Esperança, pois a ideia é dizer que este, historicamente, foi um bairro acolhedor. Queremos que ele continue sendo acolhedor, a partir de nós, mesmo com os problemas de hoje”, disse em entrevista ao O São Paulo, o Padre Simone Bernardi, do Arsenal.

Uma das características marcantes do Batuca-Bresser é justamente a integração entre as pessoas. Estudantes da Universidade Anhembi Morumbi, moradores do bairro, famílias que estão em ocupações nos bairros próximos, pessoas em situação de rua acolhidas no Arsenal, profissionais de diferentes áreas, paroquianos da Paróquia Nossa Senhora Aparecida dos Ferroviários e da Nossa Senhora de Casaluce, religiosos voluntários, todos participaram do bloco de rua que, além de contar com o carro alegórico, caprichou na letra das marchinhas e nas coreografias das músicas – adaptadas a partir de marchinhas de carnaval já conhecidas.

Acredite: a bondade é mais rápida que a maldade! Ela a supera, a desarma e a transforma em... bondade! Essa é a mensagem que queremos levar pelas ruas na 5a edição do BATUCA-BRESSER!

Cantaremos, sim, que só a bondade desarma e usaremos vozes, músicas, fantasias, instrumentos, cores e todo o nosso coração... para desarmar o nosso bairro, a nossa cidade e – quem sabe? – o mundo inteiro!

O BATUCA-BRESSER não é um bloco de carnaval comum: ele foi inventado e promovido pelA PRAÇA – iniciativa que começou com o Arsenal da Esperança e com a Paróquia Nossa Senhora Aparecida dos Ferroviários – para mostrar a todos, mas especialmente às crianças, aos adolescentes e aos jovens da região do Bresser-Mooca, que juntos podemos escolher a bondade e assim gerar bondade, para gerar mais bondade, para gerar mais bondade, para gerar...

Há um provérbio africano que diz: "é preciso de uma aldeia inteira para educar uma criança". Em 2017, o Arsenal da Esperança viveu intensamente o sonho de construir não apenas uma CASA QUE ACOLHE, mas uma ALDEIA, um bairro, uma cidade, um mundo que acolhe, em que todos tenham a oportunidade e a responsabilidade de conhecer, de fazer o bem, de conviver, de mudar a si mesmos para mudar o mundo. Não é um sonho, é possível! E que o sonho continue... Feliz Ano-Novo!


Domingo 24/12, às 20h, Missa da noite de Natal 

Segunda 25/12, às 17h, Missa do dia de Natal, presidida pelo arcebispo de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer

Logo após, entrega de presentes para os os 1.200 acolhidos do Arsenal da Esperança. 
 
ESPERAMOS VOCÊ!!! 
FELIZ NATAL!!! 

"Deus quer habitar em São Paulo, no meio de nós!". Mensagem de Natal 2017 do arcebispo de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer com a participação do Coral do Arsenal da Esperança.

Livro escrito pelo Pe. Simone Bernardi – do SERMIG - Fraternidade da Esperança – traça um paralelo entre a parábola bíblica e a obra do Arsenal da Esperança em São Paulo
Foi lançado, no último dia 24 de novembro, o livro “O bom samaritano e a hospedaria”, que traça um paralelo entre a parábola bíblica e o papel do Arsenal da Esperança em São Paulo, obra que acolhe 1.200 pessoas em situação de rua todos os dias.
O lançamento, realizado no próprio Arsenal, contou com a presença de cerca de 150 pessoas, entre elas o professor Sergio Alejandro Ribaric, um dos orientadores do trabalho que deu origem ao livro, da cantora Ziza Fernandes e dos alunos da Oficina Viva, além do próprio Adama Konate, ex-acolhido muçulmano do Mali que inspirou a obra.

Livro revisita a parábola do bom samaritano na experiência do Arsenal da Esperança, que acolhe todos os dias 1.200 pessoas em situação de rua.

Mais que um estudo teológico, o livro O bom samaritano e a hospedaria é o testemunho do Pe. Simone Bernardi como missionário do Arsenal da Esperança, obra que todos os dias acolhe 1.200 pessoas em situação de rua em São Paulo.

A partir do episódio em que um ex-acolhido muçulmano acompanha um homem ferido, vítima de assalto, até o Arsenal, o autor nos convida a revisitar o sentido de um Evangelho vivo, traçando um paralelo entre a parábola do Bom Samaritano e a obra do Arsenal.

O texto se completa com o relato de fatos comoventes e o depoimento de várias pessoas que vivem a experiência da parábola nessa casa onde a chave é Jesus e a Regra é o sim.

O lançamento do livro acontece no próximo dia 24 de novembro, a partir das 19h30 no próprio Arsenal da Esperança em São Paulo.

Sobre o autor
Pe. Simone Bernardi ingressou como missionário do SERMIG – Fraternidade da Esperança em 2001, em Turim, Itália. Em 2005 veio para o Brasil participar da coordenação e execução das atividades do Arsenal da Esperança, onde vive atualmente. Graduado em Serviço Social pela Università degli Studi di Torino (2001), em Filosofia pela Unifai (2011) e em Teologia pela Faculdade de São Bento (2013), foi ordenado sacerdote em 2015 – um dos primeiros três padres da comunidade.

Sobre o lançamento
Data: 24/11/17
Local: Arsenal da Esperança
Endereço: Rua Dr. Almeida Lima, 900 - Mooca, Próximo à estação do Metrô Bresser-Mooca
Contato com o Arsenal: Tel./Fax: (11) 2292-0977 | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Contato com a Editora:  Edições Loyola – Jesuítas, Tel. 11 3385-8500 | 2063-4275 | 3385-8501

Hoje, 24/10/2017, o Arsenal da Esperança atingiu a marca de 56.000 pessoas acolhidas nesses 21 anos de "portas abertas". Para nós, isso é motivo de comemoração! Parabéns a TODOS que tornaram possível a concretização deste sonho, sempre prontos a amar, arriscar, inventar, socorrer... Obrigado, Senhor!

De 16 a 23 de setembro de 2017, 1.140 pessoas participaram da 7ª Leitura Contínua da Palavra em mais de 40 “Pontos de Leitura”, entre paróquias, colégios, faculdades, grupos de jovens, casas de acolhida, academias, livrarias... onde lemos, na íntegra, sem comentários, os Livros Proféticos. Agradecemos a todos que ajudaram, participaram e, sobretudo, ouviram e deram voz à Palavra!

No dia 15 de setembro, abertura da 7ª Leitura Contínua da Palavra, no Arsenal da Esperança! Depois da Vigília de abertura essa “corrente” de leitura da Bíblia irá tocar vários pontos da cidade e do estado de São Paulo e... do Brasil, ao longo da semana que vai do dia 16 ao dia 23 de setembro. Veja a programação:

SEMANA

Segunda-feira, 18

clique para ampliar

  Terça-feira,19

clique para ampliar

Quarta-feira, 20

clique para ampliar
Quinta-feira, 21

clique para ampliar
  Sexta-feira,22

clique para ampliar


    Sábado, 23

clique para ampliar


7º Leitura Continua da Palavra - Programação

clique para ampliar

clique para ampliarA Arquidiocese de São Paulo realizou, na noite do dia 30 de agosto de 2017, a cerimônia de entrega da terceira edição da “Medalha São Paulo Apóstolo”, prêmio concedido pela própria Arquidiocese com o objetivo de valorizar, estimular e dinamizar a vida eclesial e pastoral na Igreja de São Paulo.

O evento, realizado no auditório das Paulinas, contou com a presença do arcebispo metropolitano, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, dos bispos auxiliares, dos membros da comissão organizadora e dos contemplados nas diversas categorias da homenagem.

No dia 15 de setembro, o SERMIG - Fraternidade da Esperança te convida para participar da VIGÍLIA DE ABERTURA da 7ª Leitura Contínua da Palavra, no Arsenal da Esperança.

Os ingredientes da iniciativa – que neste ano prevê a leitura dos Livros Proféticos – são simples: um ambão com o livro sagrado, a Palavra proclamada (sem comentários) por diferentes leitores e uma assembleia reunida em escuta.

clique para ampliarDepois da VIGÍLIA DE ABERTURA, essa “corrente” de leitura da Bíblia irá tocar vários pontos da cidade e do estado de São Paulo, ao longo da semana que vai do dia 16 ao dia 23 de setembro.

Os Pontos de Leitura ainda estão sendo definidos, mas já fica o convite: chame os seus amigos para dar voz à Palavra e organize um Ponto de Leitura na sua paróquia, na sua comunidade, na sua escola, no seu lugar de trabalho e em outros ambientes onde Deus se revela e se encarna.

Como participar:
- A vigília em sua comunidade pode ter duração mínima de 40/50 minutos.
- Escolha uma data entre os dias 16 e 23 de setembro (veja o que é melhor, manhã, tarde ou noite).
- Prepare o espaço onde acontecerá a leitura.
- Convide um grupo de leitores para participar.

Quanto antes você escolher uma data (e um horário), maior a chance de prepararmos juntos um belo encontro e uma excelente leitura. Se quiser saber mais, nos procure...

Esperamos você para a VIGÍLIA DE ABERTURA no dia 15 de setembro!!!

Veja algumas fotos da edição 2016